instituto souza cruz - PEJR: primeiros resultados

Home

Empreendedorismo que transforma

05/23/2012 - Andrea Guedes

reuniao_pejr

Nos dias 21 e 22 de maio, os educadores do Programa Empreendedorismo do Jovem Rural (PEJR) reuniram-se com os assessores de Projetos Sociais do Instituto Souza Cruz, Helen Janata e Marcos Gaspar, para avaliar o primeiro ciclo da formação. O encontro foi realizado no Rio de Janeiro.

Estiveram presentes educadores do Nordeste, Maria Aurigele Alves (CE) e Givaldo Souza (BA), e a coordenadora pedagógica do Centro de Desenvolvimento do Jovem Rural (Cedejor), Zeni de Oliveira, responsável pelo acompanhamento da formação nos quatro núcleos do Sul.

No primeiro ciclo, o enfoque é no eixo humano, no qual são ministrados conteúdos sobre a juventude rural, formação de valores e empreendedorismo para o desenvolvimento rural. Em alguns núcleos do programa, foram realizados acampamentos, visitas técnicas a propriedades, viagens de estudos, entre outras atividades.

A partir dos indicadores pré-definidos, foi possível identificar o perfil dos 151 jovens que estão em formação no programa nas duas regiões brasileiras. Um dado a ser destacado é que 48% são moças. No caminho contrário das estatísticas, que apontam o gênero feminino como o maior evasor do meio rural, o dado revela que algumas mulheres têm vislumbrado o campo como local de permanência e de crescimento.

Foi constatado também que 25% dos futuros empreendedores são não-agrícolas, ou seja, vivem no meio rural mas não desempenham atividades na agricultura.  Outros dados são referentes a ações ambientais: 50% dos jovens têm uma fossa séptica na propriedade; 40% preservam a mata ciliar; e 32% fazem a coleta seletiva do lixo.

"Em 2012, os participantes do PEJR revelam que as oportunidades existentes no campo são crescentes. A grande presença de agricultoras (48%), o alto número de jovens com Ensino Médio concluído (92%) e interessados em desenvolver projetos de empreendorismo no campo nos faz perceber o potencial da juventude para o desenvolvimento dos territórios rurais", aponta Marcos Gaspar.

No que se refere a políticas públicas, 39% dos educandos acessam o Pronaf. No entanto, apenas 2% fornecem a produção para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e 26% nunca acessaram alguma política.

“Com esse dado, apontamos para os educadores uma oportunidade de desenvolvimento dos jovens nessa área, já que um dos objetivos do PEJR é viabilizar o acesso ao crédito aos jovens e suas famílias. Acreditamos que, a partir do segundo ciclo, teremos resultados bastante positivos, tanto no aumento desses números como na elevação de renda", destaca Helen Janata.

"Os indicadores do PEJR permitem identificar estas oportunidades e os impactos positivos que as ações do programa começam a provocar nestes territórios. Além disso, apresentam as temáticas que precisam de maior atenção de acordo com aa realidade de cada território e comunidade", conclui Marcos.

No segundo ciclo da formação, o foco será o eixo técnico, com conteúdos sobre a agricultura familiar, formas de organização, empreendimentos, entre outros.

Parcerias
No Ceará e na Bahia, as organizações parceiras do Instituto Souza Cruz na implantação do PEJR são a Agência de Desenvolvimento Econômico Local (Adel) e o Movimento de Organização Comunitária (MOC), respectivamente.

No Sul, a parceria é com o Cedejor.

+ Av. República do Chile, 330, Centro - Rio de Janeiro - RJ CEP: 20031-170
Tel: 21.3849.9619 | institutosouzacruz@institutosouzacruz.org.br
Instituto Souza Cruz© 2011 - Todos os Direitos Reservados